Total de visualizações de página

domingo, 25 de janeiro de 2009

O grande acontecimento 13 - A diplomacia de Vinícius

Onírio não soube da repercussão de sua demissão: o aluno que o interpelou teve a certeza, no momento em que soube que o professor foi mandado embora, de que teria sucesso na vida profissional; a diretora dormiu tranquila; os pais de alguns alunos questionaram, em seu íntimo, a decisão tomada pela escola, mas a esqueceram na cerimônia de formatura dos alunos, em que todos se emocionaram com o momento solene do encerramento de uma fase da vida daqueles jovens; apenas um professor propôs debate a respeito do acontecimento, na sala dos professores, mas desanimou-se quando viu que os colegas não lhe dariam corda.


Para Vinícius, segurança da escola, entretanto, a demissão de Onírio foi uma perda. Vinícius recebia todos os professores, funcionários e alunos com um bom-dia acolhedor, orientação que lhe fora dada pela direção. Onírio era dos poucos que lhe retribuíam a saudação. Depois de perceber que perdera um de seus poucos interlocutores, Vinícius apavorou-se com a possibilidade de também perder o emprego: e se as pessoas se enfurecessem com seu sorriso, ainda que artificial, todas as manhãs? Gostariam todas aquelas pessoas de serem agraciadas com a frase que, apesar de calorosa, apenas cumpria a tarefa fática que fora destinada a Vinícius? Em contrapartida, teria ele alguma função além daquele cumprimento protocolar, mas diplomático?


Saiba o leitor que, neste futuro incerto, a grande ameaça que assola o Brasil não é mais a violência resultante da desigualdade social, já que a esmagadora maioria da população brasileira já saíra da linha pobreza; o que agora apavora a nação são as atitudes tresloucadas da nossa juventude transviada, que, à busca de boas risadas, abusa da violência e do sadismo.Ciente desse contexto, temendo apanhar de algum aluno e perder o emprego, valendo-se do famoso ditado que diz “quem tem cu tem medo”, Vinícius armou-se de coragem e enfrentou o pavor da demissão, experimentando, da seguinte forma, o momento mais valente de toda a sua carreira: na saudação de todos os dias, incluiu o nome da pessoa que chegava, precedido do tratamento “senhor” ou “senhora”.

Nenhum comentário :