Total de visualizações de página

quarta-feira, 6 de julho de 2011

O Grande Acontecimento 41 - Super-Homem ingressa na área da saúde

Todos conhecemos o Super-Homem. Exceto pelo fato de usar cueca por cima da calça, era um herói legal: vencia os vilões, salvava as mocinhas, e até fazia o tempo voltar atrás para não perder a amada. Sua única fraqueza era a kryptonita, mas seus inimigos nunca puderam vencê-lo. Era o arauto da justiça e vestia as cores da nação da liberdade, lar dos bravos e terra dos fortes; na Sala da Justiça, encarnava o self made man, oriundo de um planeta distante, que vencera na vida graças às oportunidades da América. Não era milionário e desocupado como o Batman, nem privilegiado como Charles Xavier, que, além de ter nascido rico, explorava pais de adolescentes problemáticos com uma escola particular. Super-Homem nunca teve nada, a não ser uma pequena propriedade nas regiões mais geladas e distantes do planeta.


Acontece, contudo, que Super-Homem se deixou levar pela cultura das celebridades: abandonou a carreira abnegada de herói, sem grandes remunerações ou reconhecimentos públicos, por outra, em um seriado de TV norte-americano. Todos sabemos o que acontece nos bastidores: milhões de dólares no bolso, muito sexo, muitas drogas (carreiras e carreiras de kryptonita, sua grande fraqueza, misturada com cocaína) e - em se tratando de TV americana - muita música pop universitária, que às vezes faz mais mal do que as drogas.


Super-Homem experimentou de tudo, no que diz respeito ao sexo, até relações a três. Aquela cueca por cima da calça nunca enganou ninguém: ele queria mesmo é colocar os meteoritos pra fora. 


Na foto em destaque, Super-Homem em campanha pelo uso da maconha na confecção de roupas. Na época, foi flagrado várias vezes bolando camisetas.

O sucesso sobe à cabeça de qualquer um, ainda mais de alguém que pode voar rumo ao espaço, em poucos instantes. Depois da glória e da celebridade, a decadência: os fãs sabem que Super-Homem se rendeu ao sistema, foi puxa-saco de Ronald Reagan e até perdeu uma briga para o Batman, que nem tem superpoderes, só tem um cinto de utilidades, que hoje pode ser comprado em qualquer loja de criança, patenteado pelas Indústrias Wayne. Os leitores de O Cavaleiro das Trevas sabem do que estou falando.


Sem dinheiro, sem mulheres, sem kryptonita, sem o apoio dos pais, sem a proteção do Marlon Brando, enfim, completamente esmagado pela obscuridade, Super-Homem se viu humilhado e teve de recorrer àquilo que julgava um atraso da humanidade da Terra: a religião. Foi flagrado diversas vezes em oração, nas igrejas do centro de São Paulo, afastado dos EUA, onde era reconhecido na rua e sofria bullying: "Hipo-Homem!", diziam alguns; "Cuecão", apelavam outros; "Traidor da pátria", argumentavam os conservadores norte-americanos ou outros remanescentes de Krypton, que ele costumava encontrar na sede dos MIB. 


Notem a decadência do herói: cadavérico, com dificuldades na super-visão, gel de pouca qualidade no pega-rapaz, tentando ocultar a identidade com uma jaqueta que ganhou de Michael Jackson e que, meses depois, seria leiloada. 

Finalmente, depois de participar do grupo de Heróis Decadentes Anônimos, Super-Homem abandonou as vaidades e as drogas. Sua grande dificuldade foi admitir que, apesar de ser extraterrestre, é gente como qualquer um, inclusive o Batman, o Lex Luthor, e até os anônimos cuja vida salvou ao longo de toda a vida. Devido ao abuso de kryptonita, perdeu boa parte de seus poderes e teve alterações metabólicas que lhe custaram alguns quilos a mais. Hoje trabalha em hospitais, usando o único poder que lhe sobrou - o poder de voar - para levar alegria a crianças doentes.  



3 comentários :

rafael disse...

rogério, ou bem vc se retrata e "dá uma melhorada" na imagem de meu herói favorito no próximo texto, ou perderá seu leitor mais fiel. sim, está sendo ameaçado. posso suportar a tudo, menos a isso. zoe a mim, minha família, meus autores prediletos, mas nao zoe o super-homem. e prometa, por deus, que nunca mais fará isso.

Anônimo disse...

Que merda é essa? ¬¬ AFFFFFF
que droga é isso? o panacaaaao que escreveu nem assistido deve ter! antes de inventa uma nogera dessa...assista ¬¬'

Alessandra Cantero disse...

hahaha Muito boa!!!